Você está em Material de apoio > Clima

Precipitações

As precipitações podem ser superficiais ou atmosféricas não superficiais.

A precipitação superficial ocorre quando a condensação acontece junto da superfície. A precipitação atmosférica não superficial ocorre quando a condensação acontece longe da superfície. O nevoeiro, o orvalho e a geada representam a precipitação superficial. A neve, o granizo e a chuva representam a precipitação não superficial.

Neve

Precipitação de cristais de gelo que tiveram sua origem na cristalização da umidade atmosférica a 0° C ou a temperaturas inferiores a esta. O acúmulo da neve nas regiões frias (polares e altas montanhas) é responsável pela formação das geleiras.


Neve: é um fenômeno metrológico que consiste na queda de cristais de gelo

Granizo

É constituído por gelo. É formado pelas correntes convectivas (movimento vertical do ar), que realizam a condução das gotas de água para as camadas mais elevadas e mais frias, onde se dá o congelamento. Pode provocar sérios danos, principalmente na agricultura.


A formação do granizo ocorre quando fortes correntes de ar carregam minúsculas gotículas de água em altitudes acima do ponto de congelamento no interior das nuvens

Geada

É uma camada de gelo em que o orvalho se transforma quando a temperatura da superfície atinge zero grau.


Geada no Jardim Botânico de Curitiba; o fenômeno é comum na capital mais fria do Brasil

Orvalho

São as gotas de água sobre plantas ou objetos que se condensam na superfície com o resfriamento do ar durante a noite.


Orvalho - precipitação atmosférica em que o vapor de água se condensa e se deposita durante a noite e pela manhã, sob a forma de gotículas muito finas, sobre a vegetação de certos corpos expostos ao ar livre

  

Como referenciar: "Precipitações" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 18/09/2019 às 06:21. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaFisica/Clima/precipitacoes.php