Vegetação litorânea

O Brasil possui uma linha contínua de costa Atlântica de 8.000 km de extensão, uma das maiores do mundo. Ao longo dessa faixa litorânea é possível identificar uma grande diversidade de paisagens, como dunas, ilhas, recifes, costões rochosos, baías, estuários, brejos e falésias.

Até mesmo os ecossistemas que se repetem ao longo do litoral (praias, restingas, lagunas e manguezais) apresentam diferentes espécies animais e vegetais. Isso ocorre devido às diferenças climáticas e geológicas. Entretanto, grande parte da zona costeira está ameaçada pela superpopulação (concentra mais da metade da população do país) e por atividades agrícolas e industriais.

O litoral amazônico, que vai da foz do Rio Oiapoque ao Rio Parnaíba, é lamacento e tem, em alguns trechos, mais de 100 km de largura. Apresenta grande extensão de manguezais, assim como matas de várzeas de marés. Jacarés, guarás e muitas espécies de aves e crustáceos são alguns dos animais que vivem nesse trecho da costa.

O litoral nordestino começa na foz do Rio Parnaíba e vai até o Recôncavo Baiano. É marcado por recifes calcáreos e arenitos, além de dunas que, quando perdem a cobertura vegetal que as fixa, movem-se com a ação do vento. Há também restingas e matas nessa área manguezais. Nas águas do litoral nordestino vivem o peixe-boi marinho e tartarugas (ambos ameaçados de extinção).

A poluição de rios e mares, juntamente com a especulação imobiliária nas regiões litorâneas, tem afetado significativamente esse tipo de vegetação, causando uma redução de tamanho e afetando o ecossistema dessa região. Trabalhadores locais, principalmente os que vivem da caça e comércio de caranguejos, tem sofrido com a diminuição destes animais nos manguezais.

Como referenciar: "Vegetação litorânea" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 19/07/2019 às 09:11. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaFisica/Vegetacao/content11.php