Extrativismo vegetal

O extrativismo vegetal consiste na simples extração de produtos vegetais que não foram cultivados pelo homem, como madeira, óleos, frutos, borracha, entre outros.

No Brasil, em especial na Região Norte, é muito comum o extrativismo de madeiras, castanhas, açaí e látex (que é uma seiva extraída da seringueira), muito utilizado para a fabricação de borracha. Apesar do extrativismo não ser considerado sempre predatório e destrutivo, é difícil encontrarmos áreas ecologicamente equilibradas.

Não devemos confundir extrativismo vegetal com agricultura. No extrativismo, o homem somente coleta os recursos que a natureza lhe proporciona; na agricultura, o homem faz a colheita daquilo que plantou e cultivou. O extrativismo vegetal também é chamado de coleta vegetal.

Principais produtos do extrativismo vegetal

O Brasil, por ser um país com vasta extensão territorial, apresenta espaço suficiente para as reservas naturais.

A madeira é um dos produtos mais visados no extrativismo vegetal no Brasil. Normalmente, é extraída da mata de araucária ou floresta subtropical, com destino à produção de papel e celulose; da mata atlântica, que continua sendo explorada ilegalmente, mesmo existindo proteção de lei; e da floresta amazônica, que gera muita madeira de lei. A extração de madeira está diretamente ligada ao problema do desmatamento no Brasil.


Madeira: extrativismo vegetal

No leste do Pará, ocorre especialmente a extração da castanha-do-pará, que é um produto muito valorizado no Brasil e também na exportação. Cerca de 80% da produção é destinada aos EUA e Europa Ocidental. Os principais produtores são Amapá e Pará.


Castanha-do-pará

As palmeiras típicas da região amazônica fornecem palmito, que abastece o mercado interno e servem ainda para exportação, já que dessas árvores se aproveita praticamente tudo. Os principais produtores de palmito são Amapá e Pará.


Palmito

A extração do látex já teve importância bem mais significativa em seu extrativismo para o Brasil. O produto obtido através da seringueira ainda é utilizado na produção nacional de borracha, porém perdeu muito espaço com o avanço da tecnologia.


Extração do látex

O babaçu, extraído de palmeiras que compõem a mata dos cocais, encontradas principalmente no Maranhão, na parte ocidental de do Piauí e em Tocantins, é importante em aplicações industriais e alimentícias.


Palmeira babaçu

No Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte, a extração de carnaúba, feita em grandes palmeiras, tem como destino várias aplicações industriais. É totalmente aproveitada e chamada de "árvore da vida". Da folha, se produz cera; do caule, a madeira; e, das raízes, medicamentos.


Palmeira carnaúba

A região nordeste do Brasil ainda conta com o extrativismo de piaçava, utilizada em vassouras e cordas de navios; o coco, que possui ampla utilização; a castanha-de-caju, que gera um óleo com propriedades especiais; e o buriti, que tem funções alimentícias e medicinais.


Cacho de buriti

  

Como referenciar: "Extrativismo vegetal" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 25/03/2019 às 12:58. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaEconomica/extrativismo/vegetal.php