Agentes modeladores do relevo (continuação)

Intemperismo

O intemperismo, também conhecido como meteorização, é o conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas.

No caso da desintegração mecânica (ou física), as rochas podem partir-se sem que sua composição seja alterada.

Nos desertos, as variações de temperatura acabam partindo as rochas, assim como nas zonas frias, onde a água se infiltra nas rachaduras das rochas.

Não podemos confundir intemperismo com erosão, pois esta implica em transporte de material.

O intemperismo se diferencia do metamorfismo (transformações sofridas pelas rochas, quando submetidas ao calor/temperatura, pressão, os fluidos e o tempo) porque incide na pressão e temperatura ambientes, enquanto as transformações metamórficas ocorrem em pressão e temperatura mais elevadas.

Os produtos do intemperismo são muito variáveis. No geral, as rochas e minerais vão sendo intemperizadas da superfície para baixo. Logo, num mesmo local podemos ter materiais em níveis de alteração bem distintos, o que atribui ao conjunto um aspecto diferenciado.

Na superfície, temos um material em estado avançado de desagregação e decomposição, diferentemente do material mais profundo, onde pode se encontrar uma mistura de material não alterado com material alterado. Ao conjunto do material alterado, independente do seu estado, damos o nome de regolito ou manto de decomposição.

Ao material superficial, em estado avançado de alteração e lixiviação, associado à matéria orgânica, damos o nome de solo. Como o intemperismo depende do clima e do relevo, o solo e o regolito são sempre o produto da interação do clima com as rochas. Uma mesma rocha, em climas diferentes, produzirá solos distintos.

Para fins de estudo, podemos dividir o intemperismo em dois tipos: físico e químico.

Na prática esta divisão é problemática, pois os dois processos ocorrem juntos, apesar de muitas vezes um se sobrepor ao outro, dependendo dos fatores clima e relevo.

Intemperismo físico

  • Esse processo causa uma desagregação da rocha em fragmentos cada vez menores, mas com as mesmas estruturas químicas. Portanto, não há decomposição de rocha.
  • Temperatura - minerais sofrem dilatação.
  • Cristalização de sais - sal trazido pela maresia.
  • Atividades biológicas - raízes de árvores que penetram no solo.

Tipos de intemperismo físico

Intemperismo termal: ocorre devido à variação de temperaturas nas rochas e é bem comum em locais de climas secos, sejam lugares quentes ou frios. Quando a temperatura está muito quente, as rochas tendem a expandir e quando faz frio se contraem. Isso enfraquece as estruturas das rochas e ajuda a fazer com que elas se fragmentem. Também temos que considerar que os minerais que compõem as rochas têm coeficientes de dilatação diferentes entre si, o que facilita a fragmentação das rochas.

Intemperismo mecânico: ocorre em razão de vários fatores, entre os quais a dissolução de água em geleiras e também a sua cristalização em fraturas que provocam o esfacelamento dos blocos de rochas pelo aumento do volume de água da mesma. Os sais então se precipitam e fazem com que o volume das fissuras de rochas, assim como os minerais, aumente.


Intemperismo Físico (mecânico)

Intemperismo Químico (água/umidade)

  • Ocorre a decomposição da rocha e alteração da sua constituição.

O intemperismo químico depende da região em que ele está ocorrendo. Ou seja, fatores como o clima, vegetação, pluviosidade, entre outros, estão diretamente ligados com o quanto de intemperismo irá ocorrer. As regiões intertropicais são mais favoráveis para a ocorrência desse fenômeno.

Continua após a publicidade

Tipos de intemperismo químico

Dentro do grande grupo do intemperismo químico, podemos fazer subdivisões de acordo com os agentes desse processo:

Intemperismo de oxidação: trata-se da mudança do estado de oxidação de um elemento através da reação com o oxigênio. Esse tipo de reação destrói a estrutura cristalina do mineral.

Intemperismo de hidratação: nesse processo, através da incorporação da água na estrutura, é formado um novo mineral.

Intemperismo de dissolução: trata-se da solubilização completa de minerais por ácidos.

Intemperismo de hidrólise: pelo fato de as rochas serem compostas em grande parte por Silicatos, quando entram em contato com a água sofrem o processo de hidrólise e disso resulta uma solução alcalina.

Intemperismo de acidólise: é a reação de decomposição dos minerais em ambientes frios. Nesses casos, a decomposição da matéria orgânica é incompleta, e por isso mesmo forma ácidos orgânicos que diminuem de forma significativa o pH das águas e acabam complexando e solubilizando o Fe e o Al.

Intemperismo biológico: acontece pela ação das bactérias que produzem a decomposição biótica dos materiais orgânicos. A grande importância desse tipo de Intemperismo é que ele produz um dois solos mais férteis do mundo. É um processo bastante comum na Rússia e Ucrânia.


Intemperismo químico

Fatores que influenciam o intemperismo

Alguns fatores tornam mais favoráveis as condições para a ocorrência do intemperismo. São eles:

  • Clima: pode ser classificado como o principal agente do intemperismo, pois é ele quem determina a quantidade de chuvas que atingirão as rochas, bem como a temperatura do local em que as mesmas estão. A chuva e a temperatura modificam as rochas quimicamente, e os ventos, também obra do clima, causam alterações físicas.
  • Relevo: tem um papel muito importante como agente do intemperismo, pois a sua inclinação decidirá quão intenso será o contato da água das chuvas com as rochas. Nos casos de terrenos mais íngremes, a infiltração da água no solo será baixa. Já em terrenos mais planos, será maior. Isso é importante pois, quanto mais tempo em contato com a água, mais reações químicas ocorrerão nas rochas.

Diferença entre intemperismo e erosão

  • Intemperismo: provoca alteração nas rochas.
  • Erosão: desgasta a superfície e faz o transporte de material e deposição.

   

Como referenciar: "Intemperismo" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 19/07/2019 às 09:11. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaFisica/Relevo/content2_3.php