Localização geográfica dos planaltos e planícies do Brasil

No relevo brasileiro, predominam os planaltos - o das Guianas e o Brasileiro, subdivido em Atlântico, Central, Meridional e Sul-Rio-Grandense.

As regiões de 201 a 1200 m de altitude ocupam 58,46% do território. As regiões acima de 1200 m representam apenas 0,54% da superfície.

O Planalto das Guianas ocupa o norte do país e estende-se pelos países vizinhos. Divide-se em escarpa serrana e planalto norte amazônico.


Planalto das Guianas

Na fronteira Amazonas/Venezuela, destaca-se a Serra Imeri, onde estão os dois pontos mais elevados do território brasileiro: os picos da Neblina com 3014 m e 31 de Março com 2992 m.


Picos da Neblina e 31 de Março

Planaltos

O planalto brasileiro, em razão de sua extensão e diversidade, é dividido em quatro partes:

  • Planalto atlântico: ocupa o litoral desde a divisa Ceará/Piauí até o norte do Rio Grande do Sul. Na Região Nordeste prevalecem altitudes entre 200 e 500 metros, com ênfase para as chapadas e serras. Na Região Sudeste, tem suas maiores altitudes médias e surgem "mares de morros", com formações características de "meias laranjas" e "pães de açúcar" .


"Mares de morros" - Serra do Espinhaço - estendem-se pelos estados de Minas Gerais e Bahia

  • Planalto central: domina a região centro-oeste do país. É formado por planaltos sedimentares (chapadas) e planaltos cristalinos bastante antigos e desgastados. Apresenta solo muito ácido e pouco fértil.


Chapadas do Planalto Central

  • Planalto meridional: ocupa a maior parte da bacia dos rios Paraná e Uruguai, nas regiões Sudeste, Sul e extremidade sul do Centro-Oeste. Sua formação é basicamente por terrenos sedimentares, recobertos parcialmente por derrames de lavas basálticas (Era Mesozoica). Divide-se em duas partes:
    - Depressão periférica, com terrenos areníticos, na divisa com o Planalto Atlântico;
    - Planalto arenito-basáltico, formado por camadas alternadas de arenitos e lavas basálticas. Entre eles surgem paredões abruptos, as chamadas cuestas. O relevo é suavemente inclinado em direção ao Rio Paraná, a oeste.


Cuestas do Paraná

  • Planalto sul-rio-grandense: localiza-se no extremo sul do Rio Grande do Sul, também conhecido como Campanha Gaúcha. Apresenta relevo bem suave e poucas colinas recobertas por gramíneas.


Campanha Gaúcha

Planícies

  • Planície do pantanal: ocupa a depressão em que correm o Rio Paraguai e seus afluentes. Sua formação recente (Quaternário) apresenta baixa declividade, provocando grandes enchentes. As partes baixas, ocupadas por lagoas, são chamadas de baías, e as partes altas de cordilheiras. Na época das cheias, se transformam em um grande lago e a maior parte das cordilheiras fica submersa.


Planície do Pantanal

  • Planícies costeiras: entendem-se pelo litoral, desde o Maranhão até o Rio Grande do Sul, em uma faixa de largura variável. Em alguns trechos da Região Sudeste, os planaltos chegam até o mar, formando falésias (costões).


Falésias em Torres - Rio Grande do Sul

  • Planície amazônica: ocupa a bacia sedimentar situada entre os planaltos das Guianas (N) e o Brasileiro (S), a Cordilheira dos Andes (O) e o oceano Atlântico (NE). Seus terrenos são sedimentares de baixa altitude - planícies somente ao longo dos rios e baixos platôs com altitudes de até 200 metros. Divide-se em três partes: igapó (áreas ao longo dos rios, inundadas boa parte do ano); várzeas (terraços mais altos, inundáveis nas cheias); terras firmes (terrenos mais antigos, do Período Terciário, e elevados, fora do alcance das cheias).


Planície Amazônica

Localização geográfica planaltos e planícies - elaborada pelo professor do departamento
de geografia da Universidade de São Paulo (USP), Jurandyr Ross

   

Como referenciar: "Planaltos e planícies do Brasil" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 18/07/2019 às 12:13. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaFisica/Relevo/content4_2.php