Conflitos no mundo (continuação)

África

No continente africano, o grande motivador dos conflitos é o modo pelo qual o continente foi dividido. Antes da chegada dos europeus, os africanos viviam em harmonia, pois os grupos rivais se respeitavam e isso não motivava instabilidade. No processo de colonização, os países europeus se reuniram em Berlim, em uma conferência, para definir a divisão do espaço africano, para que esse fosse administrado e explorado pelas nações envolvidas na reunião.

Entretanto, as fronteiras impostas pelos europeus não levaram em consideração as diferenças étnicas existentes no continente. Esse ato equivocado gerou a separação de grupos aliados, "união" de grupos rivais e assim por diante. Ao serem agrupados de forma desorganizada e sem analisar a estrutura social, cultural e religiosa, gerou-se uma grande instabilidade em vários pontos da África.

Tentativas da União Africana - um bloco de países africanos - para encerrar o conflito resultaram em um tratado de paz, assinado em 2006. O governo do Sudão apoiou o tratado, mas apenas uma facção, a do rebelde Minni Minawi, assinou o acordo. No tratado, o governo concorda em desarmar os Janjaweed, mas até agora pouco foi feito.


Conflitos na África e os grupos separatistas

  

Como referenciar: "Conflitos no mundo - África" em Só Geografia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 18/07/2019 às 13:29. Disponível na Internet em http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/GeografiaEconomica/geopolitica/geopolitica3.php